Blog do Fernando Rodrigues

Justiça multa Facebook em R$ 100 mil/dia se não informar dado de Alckmin
Comentários 68

Fernando Rodrigues

Juiz determinou que rede social revele quem contratou serviço de publicidade para o tucano

Ordem atende a pedido da campanha de Paulo Skaf, que aponta suposta propaganda eleitoral antecipada

A Justiça Eleitoral de São Paulo determinou na tarde desta 6ª feira (1º.ago.2014) que o Facebook pague multa diária de R$ 100 mil caso não informe detalhes sobre o uso de links patrocinados na página na rede social do governador Geraldo Alckmin (PSDB), candidato à reeleição.

A ação é movida pela campanha de Paulo Skaf (PMDB). Os advogados do pemedebista acusam Alckmin de propaganda eleitoral antecipada por ter contratado, antes do início da campanha, o serviço de “links patrocinados'' (imagem abaixo, “sponsored'' em inglês).

alckmin
Esse serviço permite que um usuário pague ao Facebook para que sua página e seus posts apareçam com mais destaque para os outros usuários. A publicidade faz aumentar o número de seguidores e curtidas nos posts de determinada página e, consequentemente, a sua visibilidade na rede social.

A Justiça determinou ao Facebook que informe quem, quando e como pagou o serviço de links patrocinados na página do tucano. O objetivo é apurar a eventual prática de campanha antecipada e caixa 2.

“O Alckmin pagou para aumentar o volume do seu megafone antes da campanha. Quando a campanha começa, se beneficia disso. Quem considerava essa conduta ilegal não pagou e ficou com um volume mais baixo”, diz Fernando Neisser, advogado da campanha pemedebista. “Se a Justiça autorizar isso, significa dizer que todos podem vir a usar caixa 2 para fazer propaganda eleitoral antecipada”, afirma.

Disputa jurídica
A primeira ordem judicial contra o Facebook foi emitida na 5ª feira da semana passada (24.jul.2014), para ser cumprida em 48 horas. No sábado (26.jul.2014), o Facebook não entregou os dados e solicitou mais 5 dias, concedidos pelo juiz de forma “improrrogável” e sob pena de multa de R$ 10 mil por dia. Nesta 5ª feira (31.jul.2014), findo o prazo, a rede social não enviou as informações e pediu mais tempo –o juiz negou e aumentou a multa para R$ 100 mil diários a partir das 16h de sábado (2.ago.2014).

Na prática, a cobrança de multas pela Justiça Eleitoral costuma ser questionada e demora a ser paga. O destino dos recursos é o fundo partidário.

O Facebook afirma, por meio de seus advogados, que as providências solicitadas pela Justiça são “extremamente complexas” e difíceis de serem atendidas, também “por conta do ineditismo da ordem”. A rede social argumenta que cumprir a decisão envolve “pessoas físicas e jurídicas diversas, lotadas em outros continentes e adeptas de outros fusos horários''. A assessoria da campanha de Alckmin não comenta o assunto.

(Bruno Lupion)

O blog está no Twitter e no Facebook.


Candidatos a presidente desprezam pequenas doações de eleitores
Comentários 9

Fernando Rodrigues

Luciana Genro é a primeira a lançar site para arrecadar fundos

Dilma e Campos preparam plataforma; Aécio não tem planos

Campanha de Luciana Genro, do PSOL, lançou plataforma para coletar doações nesta 3ª feira. Foto: Pedro Ladeira/Folhapress – 22.jun.2014

A maioria dos candidatos a presidente da República está desprezando a possibilidade de arrecadar fundos a partir de pequenas doações de pessoas físicas, por meio da internet.

Dilma Rousseff (PT) e Eduardo Campos (PSB) ainda estão finalizando os sites nos quais poderão receber doações. Terão cerca de dois meses apenas para tocar essa operação.

Aécio Neves (PSDB), segundo sua assessoria, não tem planos no momento de montar um site. Repetirá o que fez o tucano José Serra, em 2010, quando foi candidato a presidente e não quis arrecadar pela internet.

O Blog fez um extenso levantamento sobre como foi o péssimo desempenho dos candidatos a presidente na arrecadação de fundos via web em 2010.

Até agora, a única que já começou essa modalidade de arrecadação foi a candidata do PSOL a presidente da República, Luciana Genro. Ela estreou na 3ª feira (29.jul.2014) sua plataforma para receber doações de pessoas físicas.

Filha do governador do Rio Grande do Sul, Tarso Genro (PT), Luciana recusa ser financiada por empresas e espera no site levantar fundos com pequenos doadores.

O eleitor que quiser doar deve preencher 11 campos de informação, inclusive CEP e telefone –exigências legais no Brasil, pois a Justiça Eleitoral requer identificação completa. O interessado pode pagar com cartão de crédito ou débito.

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, foi o primeiro grande caso de sucesso na captação de recursos pela internet, na disputa de 2008. O seu site aceita doações até hoje e o doador precisa completar 8 campos para concluir a transação –é tudo muito mais simples porque as exigências de identificação nos EUA são menos rígidas do que no Brasil.

O site do presidenciável Eduardo Campos (PSB), que tem Marina na vice, já reserva um botão para receber doações, mas o sistema não está operante. Segundo a assessoria do candidato, a plataforma entrará no ar “nos próximos dias”.

Na página da petista Dilma Rousseff não há referência a doações de pessoas físicas, mas a campanha da presidente afirma que lançará seu site de arrecadação na 2ª feira (4.ago.2014). Além de cartão de crédito e débito, será possível pagar com boleto bancário, segundo a assessoria dilmista.

Eduardo Jorge, do PV, colocará seu site de arrecadação no ar na primeira semana de agosto. Assim como o de Luciana, sua campanha não aceitará doações de empresas, apenas de pessoas físicas.

A campanha do Pastor Everaldo, do PSC, informou que não planeja lançar uma plataforma para coletar doações de pessoas físicas pela internet.

O blog está no Twitter e no Facebook.


Vídeo de Aécio sofre ataque de robôs e é derrubado pelo YouTube
Comentários 16

Fernando Rodrigues

Campanha suspeita de ação de adversários e pedirá registros ao Google, controlador do YouTube

Uma animação produzida pela campanha do tucano Aécio Neves foi retirada do ar pelo Youtube nesta 3ª feira (29.jul.2014) após sofrer ataque de robôs que tentaram aumentar artificialmente o número de visualizações.

O vídeo “Xaxado” havia sido lançado em 16.jul.2014, na estreia do site oficial do tucano, com a meta de fortalecer a sua imagem “familiar”. Mostra Aécio ao lado de sua mulher, Letícia Weber, sua filha de 22 anos, Gabriela, e seus dois bebês, Júlia e Bernardo (assista abaixo):

Na última semana, a animação teve picos de audiência fora do usual e visitantes oriundos de países como Turquia, Índia, Sérvia e Romênia. O algoritmo do YouTube desconfiou e derrubou o vídeo.

À campanha tucana, a empresa disse que “Xaxado” havia sido visualizado por um número de vezes em determinado tempo de maneira que seria impossível por seres humanos. O uso de robôs é proibido pelo YouTube.

O PSDB diz desconfiar que algum adversário tenha contratado hackers para atacar o vídeo e provocar sua derrubada –suposição plausível, mas difícil de ser comprovada. Indivíduos com conhecimento de computação podem, a partir do Brasil, usar computadores zumbis –infectados por vírus– em outros países para atacar determinada página, sem que os donos dessas máquinas tenham conhecimento.

Se esse foi o caso, o máximo que o Google (controlador do YouTube) poderá saber é quais foram as máquinas das quais saíram os ataques –o que provará pouca coisa.

O deputado federal tucano Carlos Sampaio (SP), coordenador jurídico nacional da campanha de Aécio, afirma que irá requerer ao Google os dados sobre a origem dos ataques. “Mesmo que seja difícil identificar, temos de pedir, pois muitas vezes o criminoso está tão certo da impunidade que pode deixar rastros”, diz.

Esse episódio mostra como será a guerra política no mundo virtual. Em abril de 2014, o candidato do PSB a presidente, Eduardo Campos, também foi alvo de ataque semelhante a esse sofrido por Aécio Neves.

O blog está no Twitter e no Facebook.


Alckmin omite Aécio em seu jingle de campanha em São Paulo
Comentários 76

Fernando Rodrigues

No Rio, Lindberg, Crivella e Pezão também não citam Dilma; presidente só aparece na música de Garotinho

Campanha de 2014 está cheia de pequenas traições e omissões que ficam explícitas para quem ouve os jingles

Apu Gomes/Folhapress - 26.jul.2014

O jingle da campanha à reeleição do governador de São Paulo, o tucano Geraldo Alckmin, não menciona o nome do candidato de seu partido à Presidência da República, Aécio Neves.

A música tem 2 minutos e 20 segundos e define o paulista Alckmin como um “cara decente” que “sabe fazer”, sem nenhuma referência ao tucano mineiro que tenta chegar ao Planalto. Ouça abaixo:

A ausência de Aécio na música de Alckmin não é despropositada. O governador paulista dividiu seu palanque com Eduardo Campos, candidato do PSB a presidente, e já disse que terá “muita alegria” em fazer eventos de campanha ao lado do pessebista.

Há comitês compartilhados de Alckmin e Campos sendo inaugurados pelo Estado. O material de campanha defende o voto “Edualdo” –Eduardo presidente, Geraldo governador–, o que irrita o time de Aécio.

Já o petista Alexandre Padilha, também candidato em SP, hoje com apenas 4% das intenções de voto, afirma em seu jingle que “é de Lula e Dilma”. O ex-ministro da Saúde depende de seus padrinhos para conquistar pelo menos os eleitores fiéis ao PT no Estado. Paulo Skaf, candidato do PMDB ao Palácio dos Bandeirantes, com quem Dilma gostaria muito de compartilhar o palanque, não menciona a presidente na música-tema de sua campanha.

Minas Gerais
O caso paulista não é único. A campanha eleitoral de 2014 está cheia de pequenas traições e omissões que ficam explícitas para quem ouve os jingles de campanha pelos Estados.

Em Minas Gerais, 2º maior colégio eleitoral do país, Fernando Pimentel, candidato petista ao governo, também ignora Dilma em seu jingle. É que Aécio tem ampla vantagem sobre a presidente em seu Estado natal. Colar a imagem de Pimentel à da petista é pouco estratégico em termos eleitorais.

Já Pimenta da Veiga, nome tucano na disputa mineira, não esconde que está na mesma chapa que Aécio. Seu jingle diz: “Com Aécio e [Antonio] Anastasia [candidato do PSDB ao Senado], Minas dá o seu recado”.

Rio de Janeiro
Dilma também foi “esquecida” na música do candidato de seu partido ao governo do Rio, Lindberg Farias. O senador petista não é o nome preferido da presidente no Estado –ela prioriza o apoio à reeleição do governador Luiz Fernando Pezão, do PMDB, que compõe sua base aliada. Só que Pezão tampouco se lembrou de incluir o nome de Dilma em sua música de campanha no Rio, que é o 3º maior colégio eleitoral do país.

O jingle de Lindberg tem 1 minuto e 30 segundos. Lembra que o senador foi “cara pintada'' na época do impeachment do ex-presidente Fernando Collor, “cresceu junto com a nação”, e hoje é um “homem de ideias” que “traz a solução”. Sem nenhuma referência a Dilma.

A presença de Romário, do PSB, como candidato ao Senado na chapa de Lindberg contribui para o estranhamento entre o petista e a presidente. Romário não tem poupado Dilma de suas críticas.

Outro candidato ao governo fluminense filiado a um partido que apoia Dilma é Marcelo Crivella, do PRB. Mas ele também prefere omitir a petista de sua música de campanha. No Rio, apenas Anthony Garotinho, candidato do PR, cita Dilma em sua música: “O meu voto é consciente, 22 governador [número do PR na urna], e Dilma para presidente”.

Bahia
Na Bahia, o petista Rui Costa, hoje com 8% das intenções de voto nas pesquisas, explora em seu jingle que está com “Dilma presidente”. Entre os principais candidatos no 4º maior colégio eleitoral do país, é o único que menciona o seu nome ao Planalto.

Paulo Souto (DEM), que integra a coligação de Aécio Neves, não cita o tucano. Lídice da Mata (PSB) também ignora Eduardo Campos em sua música.

O blog está no Twitter e no Facebook.


Santander vira alvo de petistas após dizer que economia piora com Dilma
Comentários 498

Fernando Rodrigues

Prefeito de Osasco cancelou convênio com o banco; militantes pedem boicote

O banco Santander virou alvo de ataques de petistas desde a 6ª feira (25.jul.2014), quando veio a público um texto enviado a clientes ricos dizendo que o eventual sucesso eleitoral da presidente Dilma Rousseff iria piorar a economia do Brasil.

Jorge Lapas (PT), prefeito de Osasco, município na região metropolitana de São Paulo, aproveitou o episódio para anunciar que romperá o convênio com o banco para recolhimento de impostos e taxas municipais. Segundo ele, o Santander já foi notificado e o contrato será encerrado em 30 dias. Osasco tem o 12º maior PIB do país, segundo o último levantamento do IBGE.

Militantes petistas lançaram uma campanha de boicote ao banco. Em redes sociais, defenderam a transferência de contas correntes para o Banco do Brasil e a Caixa, bancos públicos sob controle do governo federal. Na manhã de 6ª feira, o termo “Santander” era o 4º mais citado por usuário do Twitter no Estado de SP. Porém, dada a dificuldade prática de encerrar uma conta em um banco e abrir em outro, é pouco provável que o movimento ganhe magnitude.

Rui Falcão, presidente do PT, classificou o caso como “terrorismo eleitoral” e divulgou que o banco havia enviado um pedido de desculpas à Presidência. O site Muda Mais, vinculado à campanha de Dilma, também definiu o episódio como “terrorismo eleitoral”. O Blog Amigos do Presidente Lula chamou o extrato de “panfletagem política anti-Dilma” (reprodução abaixo).

Reprodução

A versão brasileira do jornal espanhol “El País” publicou reportagem sobre o episódio no sábado (26.jul.2014). O veículo lembrou que o presidente mundial do banco, Emilio Botín, já foi recebido 4 vezes por Dilma Rousseff e tentava cultivar uma relação de proximidade com o governo brasileiro. Segundo o “El País'', a divulgação do texto vinculando a vitória da presidente a uma piora na economia teria caído “como uma bomba” na Planalto.

Botín chegou ao Rio de Janeiro no domingo (27.jul.2014), para um encontro internacional de reitores de universidades promovido pelo Santander, e falou publicamente sobre o tema. O executivo disse que a interpretação contida no texto enviado aos clientes de alta renda “não é do banco'', mas de um analista que o elaborou e enviou “sem consultar'' seus superiores. Botín também declarou que a divisão brasileira do Santander tomou “as medidas cabíveis'' a respeito e que o presidente da instituição no Brasil, Jesús Zabalza, prestou esclarecimentos a Dilma.

Até às 11h desta 2ª feira (28.jul.2014), o Santander mantinha um grande anúncio em sua página na internet pedindo desculpas pelo episódio. No final de semana, o banco também enviou aos seus clientes mensagem por e-mail, “lamentando profundamente qualquer mal-entendido”, assinado por Conrado Engel, vice-presidente de Varejo do Santander.

O blog está no Twitter e no Facebook.


Poder e Política na semana – 28.jul a 3.ago.2014
Comentários Comente

Fernando Rodrigues

Nesta semana, a presidente Dilma Rousseff será sabatinada pelo UOL e pela “Folha”. Aécio Neves e Eduardo Campos viajam pelo país.

A presidente Dilma Rousseff será sabatinada às 15h desta 2ª feira pelo UOL, “Folha”, SBT e rádio Jovem, com transmissão ao vivo. Na 3ª feira, participa de cúpula do Mercosul em Caracas, na Venezuela. Na 5ª feira de manhã, Dilma sanciona o marco regulatório das ONGs, em Brasília. À tarde, participa da inauguração de templo da Igreja Universal, de Edir Macedo, em SP, e à noite vai a evento da CUT, em Guarulhos. Na 6ª feira, Dilma recebe Shinzo Abe, primeiro-ministro do Japão, no Palácio do Planalto. À noite, ao lado do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, participa de ato político com Fernando Pimentel, candidato do PT ao governo de Minas, e Josué Gomes, candidato do PMDB ao Senado, em Montes Claros (MG).

Na 4ª feira, Dilma, Aécio Neves, candidato do PSDB a presidente da República, e Eduardo Campos, candidato do PSB, são sabatinados em horários distintos pela Confederação Nacional da Indústria, em Brasília.

Aécio lança, na 2ª feira, espaço de interlocução da sua campanha com ONGs e entidades do terceiro setor, em SP. Na 5ª feira, participa de ato de campanha com Pimenta da Veiga, candidato tucano ao governo de Minas, em Belo Horizonte.

Campos e sua candidata a vice, Marina Silva, inauguram na 2ª feira comitê em Osasco, região metropolitana de SP. Na 3ª feira, Campos vai a Vitória para debate com industriais do Estado. Na 4ª feira, em Florianópolis, comanda ato político com Paulo Bornhausen, candidato do seu partido ao Senado, e Paulo Bauer, candidato tucano ao governo de Santa Catarina. Na 5ª feira, em Porto Alegre, Campos participa de congresso dos municípios gaúchos e ato político com Ivo Sartori, candidato do PMDB ao governo do Estado, e Beto Albuquerque, candidato do PSB ao Senado. Na 6ª feira, faz campanha nas cidades gaúchas de Pelotas e Rio Grande.

Na 2ª feira, Lula e Alexandre Padilha, candidato do PT a governador de SP, participam de abertura da 14ª Plenária da CUT, em Guarulhos.

Eis, a seguir, o drive político da semana. Se tiver algum reparo a fazer ou evento a sugerir, escreva para frpolitica@gmail.com. Atenção: esta agenda é uma previsão. Os eventos podem ser cancelados ou alterados.

 

2ª feira (28.jul.2014)
Sabatina com Dilma – presidente Dilma Rousseff é sabatinada por UOL, “Folha”, SBT e rádio Jovem Pan no Palácio do Alvorada. Às 15h, com transmissão ao vivo.

Campanha de Dilma – coordenação da campanha da petista reúne-se em Brasília. Encontro deve ser pontuado por reclamações sobre falta de estrutura nos comitês estaduais.

Aécio em SP – Aécio Neves, candidato do PSDB a presidente da República, lança o Fórum Brasil, espaço de interlocução da sua campanha com ONGs e entidades do terceiro setor.

Campos e Marina em Osasco – Eduardo Campos, candidato do PSB a presidente da República, e Marina Silva, sua candidata a vice, inauguram comitê em Osasco, na região metropolitana de SP,  e fazem caminhada no centro da cidade.

Lula e Padilha na CUT – ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e Alexandre Padilha, candidato do PT ao governo de SP, participam de abertura da 14ª Plenária da CUT, que ocorre em Guarulhos até 6ª feira (1º.ago.2014).

Luciana e o MST – Luciana Genro, candidata do PSOL a presidente da República, lança seu programa sobre reforma agrária em acampamento do MST em João Câmara (RN). Às 15h.

Santander no Brasil – Banco Santander promove encontro internacional de reitores de universidades, no Rio. Por determinação da presidente Dilma Rousseff, o vice-presidente Michel Temer cancelou sua participação no evento após o Blog revelar que o banco espanhol enviou texto a clientes afirmando que o eventual sucesso eleitoral da petista iria piorar a economia do Brasil. Emilio Botín, presidente mundial do banco, é aguardado no encontro.

Industriais e eleições – CNI (Confederação Nacional da Indústria) divulga propostas do setor para as eleições de 2014. Às 14h30, na sede da entidade, em Brasília.

Ditadura militar – Comissão Nacional da Verdade retoma oitiva de agentes que atuaram na repressão política durante o regime militar. No Rio.

Processo contra Vargas – Conselho de Ética da Câmara dos Deputados colhe depoimento de testemunhas de defesa do deputado André Vargas (sem partido-PR) no processo que apura suas relações com o doleiro Alberto Youssef.

Acusação de propina na Fazenda – Comissão de Ética Pública da Presidência retoma análise de processo contra Marcelo Fiche, ex-chefe de gabinete do Ministério da Fazenda, que apura acusação de recebimento de propina.

Maskin no Rio – economista Eric Maskin, prêmio Nobel em 2007, apresenta palestra sobre mecanismos eleitorais na FGV do Rio. Às 16h.

PSD e distribuição de renda – legenda promove debate sobre distribuição de renda e qualidade de vida. Participam os ministros Guilherme Afif (Micro e Pequena Empresa) e Marcelo Neri (Assuntos Estratégicos), o economista Roberto Macedo e o cientista político Rubens Figueiredo. Às 19h, com transmissão pela internet.

Desempenho da construção civil – FGV divulga resultado da Sondagem da Construção.

Cristo azul – Cristo Redentor, no Rio, é iluminado de azul como parte de campanha internacional da ONU contra o tráfico de pessoas. Até 4ª feira (30.jul.2014).

 

3ª feira (29.jul.2014)
Dilma na Venezuela – presidente Dilma Rousseff participa de cúpula do Mercosul em Caracas.

Campos em Vitória – Eduardo Campos, candidato do PSB a presidente da República, participa de debate na Federação das Indústrias do Estado do Espírito Santo, em Vitória, e faz caminhada de campanha em Serra (ES).

Luciana em Natal e Fortaleza – Luciana Genro, candidata do PSOL a presidente da República, faz caminhada no camelódromo do Alecrim, em Natal. À tarde, em Fortaleza, participa de ato da campanha de Ailton Lopes, candidato do partido ao governo do Ceará.

Processo contra Vargas – Conselho de Ética da Câmara dos Deputados colhe depoimento do deputado André Vargas (sem partido-PR) no processo que apura suas relações com o doleiro Alberto Youssef. Júlio Delgado (PSB-MG), relator do processo, deve encerrar a fase de instrução. Colegiado também dá andamento ao processo contra o deputado Luiz Argôlo (SDD-BA).

Tamanho do eleitorado – Tribunal Superior Eleitoral divulga os números do eleitorado brasileiro em julho. Os dados servirão de base para as eleições deste ano.

Desempenho da indústria – FGV divulga resultado da Sondagem da Indústria.

 

4ª feira (30.jul.2014)
Dilma, Aécio e Campos na CNI – Confederação Nacional da Indústria sabatina os 3 candidatos mais bem posicionados na disputa pela Presidência da República. Eduardo Campos (PSB), às 10h; Aécio Neves (PSDB), às 11h30, e Dilma Rousseff (PT), às 15h. Na sede da entidade, em Brasília.

Campos em Florianópolis – Eduardo Campos, candidato do PSB a presidente da República, inaugura comitê de Paulo Bornhausen, candidato do seu partido ao Senado, em Florianópolis. Paulo Bauer, candidato do PSDB ao governo do Estado que integra a coligação, participa. Campos também deve divulgar a versão final de seu programa de governo.

Luciana em Fortaleza – Luciana Genro, candidata do PSOL a presidente da República, faz caminhada de campanha no Porto de Pecém e lança programa de governo sobre meio-ambiente. Em Fortaleza.

Eduardo Jorge em SP – Eduardo Jorge, candidato do PV a presidente da República, reúne-se com o padre Paolo Parise e visita o Centro Pastoral e de Mediação dos Migrantes, que tem recebido haitianos que chegam ao Brasil. Em São Paulo.

Pesquisa Ibope – instituto deve divulgar nova rodada de pesquisa sobre eleições presidenciais e ao governo paulista.

Cardozo em SP – José Eduardo Cardozo, ministro da Justiça, participa do 8º encontro anual do Fórum Brasileiro de Segurança Pública, com apoio da FGV e da “Folha”. Fernando Grella Vieira, secretário de segurança de SP, também participa. Na sede da ONG, em SP.

Dívida argentina – prazo final para o país chegar a um acordo com os credores que não aceitaram a reestruturação de seus títulos federais. Caso não haja consenso sobre a dívida de US$ 1,3 bilhão, a Argentina entrará em calote técnico.

Petrobras – CPI mista sobre a Petrobrás ouve José Orlando Melo de Azevedo, ex-presidente da Petrobras América.

Inflação – FGV divulga o IGP-M referente ao mês de julho.

Emprego – Dieese divulga resultado de pesquisa sobre emprego e desemprego.

Literatura – abertura da Flip (Festa Literária Internacional de Paraty), que neste ano homenageia Millôr Fernandes. Até domingo (3.ago.2014), em Paraty (RJ).

 

5ª feira (31.jul.2014)
Dilma e ONGs – presidente Dilma Rousseff sanciona o marco regulatório das ONGs, que estabelece novas regras para a contratação de entidades da sociedade civil pelo governo. Às 10h30, no Palácio do Planalto.

Dilma com evangélicos e sindicalistas – à tarde, Dilma participa da inauguração do Tempo de Salomão, da Igreja Universal, liderada pelo bispo Edir Macedo (foto). Outras autoridades também comparecem ao evento, em São Paulo. À noite, Dilma vai à 14ª Plenária da CUT, em Guarulhos.

Ricardo Stuckert/PR - 1.jan.2011

Aécio e Pimenta em BH – Aécio Neves, candidato do PSDB a presidente da República, participa de ato de campanha com Pimenta da Veiga, candidato tucano ao governo de Minas, em Belo Horizonte.

Campos em Porto Alegre – Eduardo Campos, candidato do PSB a presidente da República, vai ao 34º Congresso da Federação das Associações dos Municípios do Rio Grande do Sul. Depois, faz caminhada na Rua da Praia, participa de plenária da Federação dos Trabalhadores na Agricultura no Rio Grande do Sul e inaugura comitê de campanha de Ivo Sartori, candidato do PMDB ao governo do Estado, e Beto Albuquerque, candidato do PSB ao Senado.

Luciana e Everaldo em Porto Alegre – Pastor Everaldo, candidato do PSC a presidente da República, e Luciana Genro, candidata do PSOL, também participam do 34º Congresso da Federação das Associações dos Municípios do Rio Grande do Sul. À tarde, Luciana faz campanha de rua em Canoas (RS).

Asilo de Snowden – expira o asilo temporário concedido pelo governo russo ao ex-agente da CIA Edward Snowden. Ele pleiteia autorização para ficar mais 1 ano na Rússia. Neste mês, organizações brasileiras enviaram carta à presidente Dilma Rousseff para que concedesse asilo a Snowden no Brasil.

Setor elétrico – último dia para as distribuidoras de energia pagarem dívida de R$ 1,3 bilhão às usinas geradoras, referente ao consumo no mês de maio.

Lucro de bancos e mineradora – Bradesco, Santander e Vale divulgam balanços.

Livre comércio – data limite para que países integrantes da Organização Mundial do Comércio aceitem os acordos sobre livre comércio aprovados em Bali, no final de 2013. A Índia ameaça bloquear a negociação se não conseguir avanços no tema de subsídio interno para produção de alimentos.

Tesouro – Conselho Monetário Nacional reúne-se em Brasília.

Desempenho de serviços e comércio – FGV divulga a Sondagem de Serviços e a Sondagem do Comércio.

Inflação – IBGE divulga o Índice de Preços ao Produtor nas Indústrias de Transformação.

 

6ª feira (1º.ago.2014)
Dilma e Abe – presidente Dilma Rousseff recebe Shinzo Abe, primeiro-ministro do Japão. Às 11h, no Palácio do Planalto. À noite, Abe viaja para São Paulo.

Dilma e Lula em Minas – à noite, Dilma e o ex-presidente Lula participam de ato político com Fernando Pimentel, candidato do PT ao governo de Minas, e Josué Gomes, candidato do PMDB ao Senado. Em Montes Claros, cidade onde o ex-vice-presidente José Alencar (1931-2011), pai de Josué, fundou a Coteminas.

Campos no Rio Grande do Sul – Eduardo Campos, candidato do PSB a presidente da República, faz campanha em Pelotas e Rio Grande, no Rio Grande do Sul.

Luciana em Florianópolis – Luciana Genro, candidata do PSOL a presidente da República, participa de café da manhã promovido pela Associação de Praças do Estado de Santa Catarina, faz campanha no centro de Florianópolis e lança a candidatura de Afrânio Boppré ao governo do Estado.

Barbosa no STF – ministro Joaquim Barbosa volta de férias e preside sessão do Supremo Tribunal Federal. Ele deve se aposentar em 6.ago.2014.

Balança comercial – Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior divulga os dados da balança comercial de julho.

Indústria – IBGE divulga a produção industrial de junho.

 

Sábado (2.ago.2014)
Campos no Ceará – Eduardo Campos, candidato do PSB a presidente da República, participa de festa de aniversário de sua tia avó Almina Arraes, irmã de Miguel Arraes (1916-2005).

Maluf e a Ficha Limpa – último dia para o deputado federal Paulo Maluf (PP-SP) apresentar sua defesa contra ato da Procuradoria Regional Eleitoral de SP que impugnou sua candidatura à reeleição com base na Lei da Ficha Limpa.

Lixão de Brasília – Distrito Federal deve fechar o lixão da Estrutural, área a 16 km do Palácio do Planalto que recebe os resíduos dos moradores de Brasília. O governo distrital promete cumprir a Política Nacional de Resíduos Sólidos e destinar o lixo para um aterro sanitário.

O blog está no Twitter e no Facebook.


Site do PT acusa Santander de fazer “terrorismo econômico”
Comentários 296

Fernando Rodrigues

O site Muda Mais, vinculado à campanha de reeleição de Dilma Rousseff, publicou nota na tarde desta sexta-feira (25.jul.2014) acusando o banco Santander de fazer “terrorismo econômico” contra o governo petista.

Como o Blog revelou na manhã desta sexta-feira, o bancou enviou aos seus clientes de alta renda texto afirmando que o eventual sucesso eleitoral de Dilma iria piorar a economia do Brasil. O extrato, destinado a correntistas na categoria “Select”, com renda mensal superior a R$ 10 mil, dizia que se Dilma melhorar nas pesquisas de intenção de voto, os juros e o dólar vão subir e a Bolsa, cair.

O Muda Mais contesta o posicionamento do Santander e afirma não haver “nenhum critério técnico” em sua análise econômica. O site menciona que o índice Bovespa subiu de 17 mil pontos em fevereiro de 2004 –durante o primeiro mandato do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva– para 55 mil pontos em fevereiro deste ano.

O texto do site petista também afirma ser “curioso” que tal análise tenha partido da sucursal brasileira do banco espanhol, que lucrou R$ 518 milhões no 1º trimestre deste ano.

Abaixo, reprodução da página do Muda Mais:

Reprodução

Diante da repercussão negativa do caso, o Santander colocou na tarde desta sexta-feira um grande anúncio em sua página na internet pedindo desculpas pelo texto enviado aos seus clientes de alta renda.

O banco afirma que a análise em questão “não reflete, de forma alguma, o posicionamento da instituição”. No anúncio, o Santander também “reitera sua convicção de que a economia brasileira seguirá sua bem-sucedida trajetória de desenvolvimento”.

O blog está no Twitter e no Facebook.


Santander põe pedido de desculpas na sua homepage por texto que cita Dilma
Comentários 29

Fernando Rodrigues

O banco Santander colocou no início da tarde desta sexta-feira (26.jul.2014) um grande anúncio em sua página na internet pedindo desculpas por ter enviado, aos seus clientes de alta renda, um texto afirmando que o eventual sucesso eleitoral da presidente Dilma Rousseff iria piorar a economia do Brasil. O caso foi revelado pelo Blog na manhã desta sexta.

O aviso do Santander afirma que o texto em questão “não reflete, de forma alguma, o posicionamento da instituição”. O extrato, enviado a clientes na categoria “Select”, com renda mensal superior a R$ 10 mil, dizia que se Dilma melhorar nas pesquisas de intenção de voto, os juros e o dólar vão subir e a Bolsa, cair.

Assim como fez na nota enviada o Blog, o banco pede desculpas ao clientes “que possam ter interpretado a mensagem de forma diversa dessa orientação”. O Santander também “reitera sua convicção de que a economia brasileira seguirá sua bem-sucedida trajetória de desenvolvimento”.

Eis a reprodução do aviso publicado na página do Santander (clique na imagem para ampliar):

Reprodução

O blog está no Twitter e no Facebook.


Sucesso de Dilma deteriora economia, diz Santander a clientes ricos
Comentários 2407

Fernando Rodrigues

O Banco Santander enviou neste mês de julho de 2014 aos seus clientes de alta renda um texto afirmando que o eventual sucesso eleitoral da presidente Dilma Rousseff irá piorar a economia do Brasil.

A análise foi impressa na última página do extrato dos clientes na categoria “Select”, com renda mensal superior a R$ 10 mil. Diz que se Dilma melhorar nas pesquisas de intenção de voto, os juros e o dólar vão subir e a Bolsa, cair.

O texto vem sob o título “Você e seu dinheiro” e orienta os clientes do Santander: um cenário eleitoral favorável à petista reverterá “parte das altas recentes” na Bolsa.

Eis a reprodução do extrato:

Reprodução

O documento do Santander ao seus correntistas mais abastados contém uma análise que já frequentava o mercado financeiro brasileiro de forma difusa, mas nunca de maneira institucional por um grande banco.

Esse tipo de comportamento do mercado não é novo. Desde a primeira eleição direta pós-ditadura ocorrem interpretações nesse sentido. Em 1989, o empresário Mário Amato deu uma entrevista dizendo que se o petista Luiz Inácio Lula da Silva ganhasse naquele ano, 800 mil empresários deixariam o Brasil.

Em 2002, quando o mercado financeiro novamente ficou apreensivo com uma possível vitória de Lula, o analista Daniel Tenengauzer, do banco Goldman Sachs, chegou a inventar o “lulômetro”, que previa a cotação futura do dólar caso o petista fosse eleito. Tenengauzer acabou repreendido pelo banco, que considerou “leviano” e de “mau gosto” o nome de seu modelo matemático.

O Santander confirmou a autenticidade do documento ao qual o Blog teve acesso. Em nota, disse adotar critérios “exclusivamente técnicos” em suas análises econômicas, “sem qualquer viés político ou partidário”.

O banco reconhece que o texto enviado a seus clientes “pode permitir interpretações que não são aderentes a essa diretriz” (de se ater a análises mais técnicas). A instituição emitiu uma nota na qual pede desculpas ao seus correntistas e diz que adotará providências internas.

De capital espanhol, o Santander é o 5º maior banco e o 1º estrangeiro em atuação no Brasil. Fica atrás de Banco do Brasil, Itaú, Caixa e Bradesco. Em 2000, massificou sua operação de varejo ao comprar o Banespa, o antigo banco estatal que pertenceu ao governo paulista.

Abaixo, a íntegra da nota do Santander:

“O Santander esclarece que adota critérios exclusivamente técnicos em todas as análises econômicas, que ficam restritas à discussão de variáveis que possam afetar os investimentos dos correntistas, sem qualquer viés político ou partidário. O texto veiculado na coluna ‘Você e Seu Dinheiro’, no extrato mensal enviado aos clientes do segmento Select, pode permitir interpretações que não são aderentes a essa diretriz. A instituição pede desculpas aos seus clientes e acrescenta que estão sendo tomadas as providências para assegurar que nenhum comunicado dê margem a interpretações diversas dessa orientação.”

P.S. às 15h de 25.jul.2014: Na tarde desta 6ª feira, o Santander colocou um grande anúncio em sua página na internet em que pede desculpas pelo texto e reitera “sua convicção de que a economia brasileira seguirá sua bem-sucedida trajetória de desenvolvimento”. O site Muda Mais, vinculado à campanha de reeleição de Dilma Rousseff, também publicou nota acusando o banco Santander de fazer “terrorismo econômico” contra o governo petista.

(Bruno Lupion)

O blog está no Twitter e no Facebook.


Na Bahia, Paulo Souto (DEM) tem 42% e Lídice da Mata (PSB), 11%, diz Ibope
Comentários Comente

Fernando Rodrigues

Geddel Vieira Lima (PMDB) lidera corrida ao Senado com 34%

Entre os eleitores baianos, Dilma Rousseff tem 48% e Aécio Neves, 15%

Pesquisa realizada em 19 a 21.jul; margem de erro de 3 pontos percentuais

O ex-governador Paulo Souto (DEM) lidera a disputa pelo governo da Bahia com 42% das intenções de voto, segundo pesquisa Ibope divulgada na 4ª feira (23.jul.2014).

A senadora Lídice da Mata (PSB) está em segundo lugar, com 11%. O deputado federal Rui Costa (PT) tem 8%.

Entre os nanicos, Rogério da Luz (PRTB) pontou 2%, e Marcos Mendes (PSOL) e Renata Mallet (PSTU) têm 1% cada um. Votos em branco e nulo são 18% e indecisos, 17%. A margem de erro é de 3 pontos percentuais, para mais ou para menos.

Senado
Na disputa pela única vaga disponível no Senado, o ex-ministro Geddel Vieira Lima (PMDB) lidera com 34% das intenções de voto.

O vice-governador Otto Alencar (PSD) tem 17% e a ex-corregedora nacional de Justiça Eliana Calmon (PSB), 5%. Hamilton Assis (PSOL) e Idalba Marins (PEN) têm, cada um, 1%. Votos em branco e nulo são 19% e indecisos, 23%.

Presidencial
A pesquisa também perguntou aos eleitores baianos em quem eles pretendem votar para presidente da República. Dilma Rousseff (PT) lidera com 48% das intenções de voto. Aécio Neves (PSDB) tem 15% e Eduardo Campos (PSB), 8%.

Pastor Everaldo (PSC) pontuou 3% e Rui Costa Pimenta (PCO) e Zé Maria (PSTU), 1% cada um. Votos em branco e nulo são 13% e indecisos, 11%.

A pesquisa do Ibope foi custeada pela Televisão Bahia e entrevistou 1.008 pessoas nos dias 19 a 21 de julho de 2014. Está registrada na Justiça Eleitoral sob o protocolo BA-00006/2014.

Consulte a tabela com as pesquisas disponíveis de todos os institutos para a Bahia nas eleições para governador no 1º turno e 2º turno e para senador.

Este Blog mantém a mais completa página de pesquisas eleitorais da internet brasileira, com levantamentos de todos os institutos desde o ano 2000. É possível consultar os cenários do 1º turno de 2014 para as disputas de presidente, governador e senador e do 2° turno de 2014 para presidente e governador.

O blog está no Twitter e no Facebook.