Blog do Fernando Rodrigues

Arquivo : Selic

Recessão faz presidente do BC, Ilan Goldfajn, virar alvo interno do governo
Comentários Comente

Fernando Rodrigues

Equipe faz pressão para Michel Temer enquadrar BC

Juro é única forma de mitigar recessão no curto prazo

Presidente do BC é “ministro” e só responde a Temer

Governo vê erro na busca de 4,5% de inflação em 2017

O presidente do BC, Ilan Goldfajn, ao ser sabatinado no Senado, em maio

O presidente do BC, Ilan Goldfajn, ao ser sabatinado no Senado, em maio

O novo alvo interno do governo é o presidente do Banco Central, Ilan Goldfajn.

Integrantes da equipe do presidente Michel Temer consideram que existe 1 erro conceitual na crítica à administração federal de forma generalizada quando se fala nos efeitos da recessão e na alta taxa de juros, hoje em 13,75% ao ano. O presidente do Banco Central tem status de ministro. Há anos é subordinado ao presidente da República e não ao Ministério da Fazenda.

Se tem alguém na República que pode chamar Ilan Goldfajn para conversar, essa pessoa é o presidente Michel Temer. Por não ser um especialista em economia e achar que uma manobra malfeita pode ser danosa, o peemedebista não se moveu até agora.

A decisão de Ilan Goldfajn de puxar a inflação para o centro da meta (4,5% ao ano) já em 2017 é a principal crítica ouvida dentro do Palácio do Planalto e adjacências. Essa estratégia obriga o BC a manter os juros nas alturas.

Para muitos integrantes do governo, Ilan Goldfajn se mantém “fora da realidade”, num quadro recessivo com nunca se viu nas últimas décadas.

“A taxa de juros real ficará em 8% a 9%. Uma loucura, quando o mundo pratica quase taxa zero ou perto disso. Só o presidente Michel Temer pode atuar agora”, diz um integrante do altíssimo escalão do governo.

Se mantiver a política de juro alto, o BC pode até conseguir puxar a inflação para 4,5% em 2017. Mas com 1 custo, avalia o Planalto: o governo de Michel Temer poderá nem existir mais para comemorar quando esse dia chegar.

A popularidade de Michel Temer está baixa. O presidente tem dificuldade para conter manifestações de rua contra propostas de seu governo, como a PEC do teto dos gastos e a reforma da Previdência. Amanhã, domingo (4.dez.2016), há manifestações marcadas em várias cidades do país –e a administração federal é um dos alvos.

Embora empresários e políticos façam propostas recorrentes sobre programas de incentivo ao crescimento, no entender da equipe mais próxima de Temer só há uma ferramenta que pode ter efeito imediato para reativar a economia: um corte arrojado e rápido na taxa de juros.

A receita mais ou menos geral ouvida pela reportagem do Poder360 é o BC fazer um “mea culpa”, admitindo que não há condições macroeconômicas para atingir o centro da meta de inflação (4,5%) em 2017. A partir daí, afrouxar a rigidez com que mantém a taxa de juros.

O BNDES, O OUTRO ALVO
Depois do Banco Central, o segundo alvo de ataques internos no governo é o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social. O BNDES anunciou o cancelamento de financiamentos já contratados e aprovados no valor de US$ 7 bilhões. Por quê? Porque os empréstimos iriam para empreiteiras encrencadas com a Lava Jato: Andrade Gutierrez, Camargo Corrêa, OAS, Odebrecht, Queiroz Galvão.

Para o Planalto, assim como no caso do BC, “falta conexão com a necessidade do país” na atitude tomada pelo BNDES. “Como é possível o BNDES suspender esse tipo de financiamento já contratado? Essas empresas estão sendo investigadas pela Lava Jato, estão fazendo acordos de leniência. São de 1 setor vital para o funcionamento da economia, têm uso intensivo de mão de obra. Ao cancelar os contratos, o BNDES empurra ainda mais a economia para o buraco”, afirma um inconformado colaborador direto de Michel Temer.

A presidente do banco de fomento é Maria Silvia Bastos Marques. Foi indicada por Michel Temer como grande gestora. Mas no mercado, sua imagem não é tão positiva assim. Até porque, ao cancelar financiamentos já concedidos anteriormente o BNDES teria agido olhando mais para a opinião pública (por causa da Lava Jato) e não para a economia.

O Poder360 está no Facebook, YouTubeTwitter e Google+.


Calero foi “indigno”, mas gravação deve ser divulgada logo, diz Temer
Comentários Comente

Fernando Rodrigues

Presidente diz estudar fazer registro em áudio de todas as audiências

No Planalto, ao lado de Renan e Maia, promete vetar anistia ao caixa 2

Peemedebista diz ter conversas para tentar buscar “redução dos juros”

Entrevista coletiva do presidente Michel Temer com os presidentes do Senado, Renan Calheiros e do presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, no Palácio do Planalto. Brasilia, 18-11-2016  Foto: Sérgio Lima / PODER 360.

Renan Calheiros, Michel Temer e Rodrigo Maia em entrevista no Planalto

Em entrevista no início da tarde deste domingo (27.nov.2016), no Palácio do Planalto, o presidente Michel Temer emitiu 3 recados importantes.

       1. Anistia ao caixa 2: disse não apoiar uma eventual anistia ao caixa 2 de campanhas eleitorais passadas. Vetará o dispositivo caso venha a ser aprovado pelo Congresso;

      2. Calerogate: o presidente classificou de “indigno” o ato do ex-ministro da Cultura Marcelo Calero, que admitiu ter gravado uma conversa com Temer. Pediu que o conteúdo da gravação “logo venha a luz”;

      3. Taxa de juros: numa atitude quase surpreendente, ainda que fazendo uma ressalva, afirmou que tem mantido conversas para tentar baixar a taxa de juros básica da economia, a Selic.

 

Ao lado dos presidentes da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), e do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), Michel Temer pretendeu tranquilizar o meio político e os agentes econômicos e financeiros a respeito das turbulências dos últimos dias.

Esta reportagem é do Poder360 e as informações do repórter Luiz Felipe Barbieri

Temer enfrenta vários reveses ao mesmo tempo. Perdeu 2 ministros em novembro (Marcelo Calero, da Cultura, e Geddel Vieira Lima, da Secretaria de Governo). Calero, para complicar, disse ter registrado em áudio conversas telefônicas com integrantes do alto escalão do governo, além de um diálogo com Temer. A economia continua dando sinais de forte recessão. E em breve haverá os vazamentos de conteúdo de delações de mais de 70 executivos da empreiteira Odebrecht no âmbito da Lava Jato –explicando o que é verdade na chamada “lista da propina“.

Ao se apresentar para uma entrevista num domingo, algo raro, Temer quis demonstrar que está no controle do governo e tem o apoio das duas Casas do Congresso. Sobre a gravação da qual teria sido alvo, tentou sinalizar destemor ao pedir a divulgação rápida do conteúdo –que no momento é analisado pela Polícia Federal.

Ao programa “Fantástico”, da TV Globo, Calero afirmou ter realizado as captações de áudio por sugestão de “amigos” da Polícia Federal. Essa informação é pública desde ontem, sábado (26.nov.2016). Na entrevista do início da tarde deste domingo (27.nov.2016), nenhum repórter questionou o presidente a respeito. Só puderam perguntar repórteres previamente sorteados. O Poder360 estava presente, mas não foi sorteado e não teve como fazer perguntas.

Temer criticou a conduta de seu ex-ministro da Cultura. “Com toda franqueza, eu acho que gravar clandestinamente é sempre algo desarrazoado. Quase indigno. Eu diria mesmo indigno. Mas um ministro gravar o presidente da República é gravíssimo. Se gravou eu espero que essa gravação logo venha a luz. É importantíssimo”, declarou.

Com o intuito de evitar que novas gravações venham a provocar constrangimentos ao governo, o presidente disse que pretende pedir o registro de todas conversas que mantêm em seu gabinete.

“Estou pensando em pedir ao Gabinete de Segurança Institucional que grave, publicamente, não clandestinamente, todas as audiências do presidente da República. Para que todos possam dizer o que podem dizer, e eu possa dizer aquilo devo dizer. Eu vou examinar essa hipótese”, declarou.

Temer, Renan e Maia estiveram juntos neste domingo sobretudo para demonstrar que há consenso na rejeição a um projeto que teria por objetivo anistiar o crime de caixa 2. A proposta seria apresentada por deputados durante a votação do projeto das “10 medidas contra a corrupção”, marcada para 3ª feira (29.nov).

“No tocante a essa questão da anistia dos chamados crimes eleitorais, do caixa 2, há uma unanimidade dos dirigentes do Poder Executivo e do Poder Legislativo (…) Neste caso da questão da anistia, num dado momento, viria para a Presidência da República. Seria impossível o presidente da República sancionar uma matéria dessa natureza”, afirmou Temer.

Acusado de pactuar com líderes na Câmara para aprovação da emenda, Maia esquivou-se. Disse que a polêmica em torno de uma possível anistia ao crime de caixa 2 deu-se em razão de falhas de comunicação.

“Nas discussões com os líderes a nossa intenção nunca foi anistiar crimes (…) Nós começamos a discutir algo que não existe (…) Essa emenda nunca existiu efetivamente. Ela não foi instrumento de apresentação de nenhum parlamentar ou líder partidário. Se ela não foi assinada, ela não existe do ponto de vista do trâmite regimental da Câmara dos Deputados”, declarou Maia.

“Nós estamos aqui fazendo um acordo no sentido de que não haverá apreciação de anistia a crime eleitoral, a caixa 2 ou qualquer crime eleitoral”, ressaltou Renan.

Apesar das negativas de Maia e de Renan, a anistia ao caixa 2 foi efetivamente discutida e quase aprovada na semana passada. Uma forte reação contrária –sobretudo nas redes sociais– fez com que os congressistas recuassem. Havia até um texto redigido para aprovar a manobra.

A apresentação de Temer, Renan e Maia foi no salão leste do Palácio do Planalto. Usaram uma mesa de pequenas proporções. Ficaram próximos uns dos outros. Estavam ombro a ombro, quase apertados. Esse cenário vem sendo usado desde governos anteriores. É comum haver críticas por parte de especialistas em comunicação a respeito do resultado. Na televisão, a imagem fica pobre, quase amadora, conferindo pouca cerimônia ao evento quando se leva em conta a importância institucional das personalidades ali expostas. Para piorar, os 3 protagonistas estavam com aspecto cansado –e o presidente da República exibia os olhos vermelhos.

Eis uma foto de Sérgio Lima mostrando o cenário da entrevista deste domingo (27.nov.2016):

Entrevista coletiva do presidente Michel Temer com os presidentes do Senado, Renan Calheiros e do presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, no Palácio do Planalto. Brasilia, 18-11-2016  Foto: Sérgio Lima / PODER 360.

Entrevista coletiva do presidente Michel Temer com os presidentes do Senado, Renan Calheiros e do presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, no Palácio do Planalto

ECONOMIA E JUROS
Em uma de suas intervenções, Temer relatou estar conduzido conversas com o intuito de reduzir a taxa básica de juros, a Selic, hoje fixada em 14% ao ano.

“Eu sei que sempre se coloca em pauta a questão dos juros. Num primeiro momento, houve uma pequena redução dos juros. É uma matéria que a Presidência da República não entra diretamente, porque isso faz parte de uma avaliação técnica do Banco Central.  Mas evidentemente que o objetivo das conversas que eu tenho tido é na busca da eventual redução dos juros no país”, disse Temer.

O Comitê de Política Monetária reúne-se nesta semana para decidir se mantém ou diminui ainda mais a taxa Selic. O anúncio será na 4ª feira (30.nov).

Nenhum dos repórteres presentes perguntou a Temer a que tipo de conversas ele se referia e com quem tem mantido tais diálogos. O Poder360 não foi sorteado entre os que poderiam perguntar.

O Poder360 está no Facebook, YouTube, Twitter e Google+.


Equipe econômica vai debater se deve elevar meta de inflação anual
Comentários Comente

Fernando Rodrigues

Hoje, o percentual é de 4,5%, com tolerância de 2 pontos

Assessores da presidente querem subir até 5,5% ao ano

Essa elevação, argumentam, seguraria a alta dos juros

Brasília - O presidente do Banco Central, Alexandre Tombini, fala na Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) do Senado, sobre as diretrizes e perspectivas da política monetária (Antonio Cruz/Agência Brasil)

O presidente do Banco Central, Alexandre Tombini

A reunião de Dilma Rousseff na semana que vem com seus principais ministros para traçar os rumos da economia terá um tema espinhoso sobre a mesa: o centro da meta de inflação deve permanecer em 4,5% ao ano ou ser elevado?

É consenso no Palácio do Planalto que a taxa de juros (Selic) deve, no máximo, ficar no atual patamar, de 14,25% ao ano. Esse recado será dado ao Banco Central de forma clara. Mas não há garantia de que o BC atenda a esse apelo.

Ocorre que o Banco Central está inclinado a subir o juro em 19 e 20 de janeiro, quando o Comitê de Política Monetária se reúne pela primeira vez em 2016. A inflação na casa de 10,70% em 2015, bem acima da meta, disparou o gatilho para o BC pensar numa Selic mais alta.

É exatamente para tentar evitar a alta de juros que assessores próximos a Dilma Rousseff acreditam que seria o momento de um choque de realidade: aumenta-se de uma vez o centro da meta de inflação –fala-se no Planalto em 5,5% ao.

Como a margem de tolerância é de 2 pontos, para mais ou para menos, a taxa poderia variar até 7,5%.

Com essa alteração na meta de inflação, acreditam assessores palacianos, o BC ficaria mais à vontade para não elevar os juros.

Mas há 2 problemas grandes: 1) a meta de 2016 já está fixada e haveria dificuldade política para alterar a resolução do Conselho Monetário Nacional, pois seria necessário modificar também o decreto presidencial de 1999 que estabeleceu o atual sistema; 2) o mercado poderia apostar contra o real, achando que o governo está flexibilizando o controle da inflação.

O fato é que esse assunto está em fermentação no Planalto. A decisão será tomada ao longo das próximas semanas. Ninguém pretende falar sobre o assunto em público antes de haver um mínimo consenso interno no governo.

A AUSÊNCIA DE TOMBINI
Apesar de integrar a equipe econômica, o presidente do Banco Central, Alexandre Tombini, estará em férias durante a reunião da semana que vem, quando serão traçados os planos para 2016.

O Blog está no FacebookTwitter e Google+.


Poder e Política na semana – 27.out a 2.nov.2014
Comentários Comente

Fernando Rodrigues

Com Dilma Rousseff reeleita, nesta semana devem se aprofundar as discussões sobre o novo ministério da petista e as alianças no Congresso para 2015.

Pedro Ladeira/Folhapress

Na 2ª feira, o senador Vital do Rêgo, presidente da CPI Mista da Petrobras, decide se mantém o depoimento do doleiro Alberto Youssef agendado para 4ª feira.

Na 4ª feira, o Copom (Comitê de Política Monetária) divulga a nova taxa básica de juros, a Selic, hoje em 11%. A expectativa é de manutenção da taxa no mesmo patamar. Ao longo da semana, será conhecida a magnitude da reação do mercado à reeleição de Dilma.

Também nesta semana, o Supremo pode liberar o ex-ministro José Dirceu e o ex-deputado Valdemar Costa Neto, condenados no processo do mensalão, a cumprirem o resto da pena em casa.

Eis, a seguir, o drive político da semana. Se tiver algum reparo a fazer ou evento a sugerir, escreva para frpolitica@gmail.com. Atenção: esta agenda é uma previsão. Os eventos podem ser cancelados ou alterados.

 

2ª feira (27.out.2014)
Youssef no Congresso – senador Vital do Rêgo (PMDB-PB), presidente da CPI Mista da Petrobras, decide se mantém o depoimento do doleiro Alberto Youssef agendado para 4ª feira (29.out.2014). O advogado de Youssef pediu o cancelamento do depoimento.

Feriado no Congresso – Câmara e Senado anteciparam para esta 2ª feira (27.out.2014) o feriado do Dia do Servidor Público, cuja data oficial é 3ª feira (28.out.2014).

Dívida – Tesouro divulga relatório da dívida pública federal do mês de setembro.

Economia – FGV divulga sondagens do setor de Serviços e do Comércio.

Lula, 69 anos – ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva comemora aniversário em São Bernardo do Campo.

Pizzolato – Fernanda Odilla, repórter da “Folha”, lança o livro “Pizzolato – Não existe plano infalível”, que refaz os passos da fuga para a Itália de Henrique Pizzolato, ex-diretor do Banco do Brasil condenado no processo do mensalão. Na Livraria Cultura do Shopping CasaPark, em Brasília, às 19h.

 

3ª feira (28.out.2014)
Congresso retoma trabalhos – Câmara realiza sessão plenária. Pauta de votação será influenciada pela eleição presidencial e pode ficar paralisada em função da negociação de alianças políticas. No Senado, a pauta está trancada pela MP 650/2014, que altera carreiras da Polícia Federal, e pela MP 651/2014, que reabriu o prazo para empresas aderirem ao Refis.

Processos contra deputados – Conselho de Ética da Câmara vota processo por quebra de decoro contra o deputado Luiz Argôlo (SDD-BA), acusado de envolvimento em negócios ilegais com o doleiro Alberto Youssef. Também deve ser votado no Conselho processo contra o deputado Rodrigo Bethlem (PMDB-RJ), acusado de receber propina de ONGs contratadas pela Secretaria Municipal de Assistência Social do Rio de Janeiro. Na mesma data, a Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania da Câmara vota recurso do deputado André Vargas (Sem partido-PR) contra decisão do Conselho de Ética que recomendou a sua cassação.

Orçamento – Comissão Mista de Orçamento vota relatório preliminar do senador Vital do Rêgo (PMDB-PB) ao projeto da Lei de Diretrizes Orçamentárias para 2015.

Dirceu e Valdemar em casa – PT espera que José Dirceu possa ser liberado pelo Supremo a partir desta data para cumprir o resto de sua pena em casa. A decisão cabe ao ministro Luís Roberto Barroso. O ex-deputado Valdemar Costa Neto fez o mesmo pedido e também aguarda decisão do Supremo.

Taxa Selic – Comitê de Política Monetária do Banco Central reúne-se para definir a nova taxa básica de juros, a Selic, hoje em 11% ao ano. A reunião termina na 4ª feira (29.out.2014).

Pizzolato – Justiça italiana retoma julgamento do pedido de extradição feito pelo governo brasileiro contra Henrique Pizzolato, ex-diretor do Banco do Brasil condenado no processo do mensalão. Pizzolato está preso desde fevereiro na cidade de Maranello.

Construção civil – FGV divulga o Índice Nacional da Construção Civil e a Sondagem da Construção referente ao mês de outubro.

Dia do Servidor Público – feriado em repartições públicas. Alguns órgãos anteciparam o feriado para 2ª feira (27.out.2014)

 

4ª feira (29.out.2014)
Taxa Selic – Comitê de Política Monetária do Banco Central anuncia no final do dia a nova taxa básica de juros, a Selic, no momento em 11% ao ano. A expectativa do mercado é a manutenção da taxa no mesmo patamar.

Youssef no Congresso – CPI Mista da Petrobras pode colher depoimento do doleiro Alberto Youssef.

STF e Luiz Estevão – plenário do Supremo Tribunal Federal analisa recurso da defesa do ex-senador Luiz Estevão, preso em Tremembé (SP) desde 27 de setembro por falsificação de documento público em uma das ações sobre desvio de recursos na construção do Fórum Trabalhista de São Paulo.

Emprego – Dieese divulga pesquisa nacional sobre emprego e desemprego.

Indústria – FGV divulga a Sondagem da Indústria.

 

5ª feira (30.out.2014)
Vaccari e Itaipu – João Vaccari Neto, tesoureiro do PT, deve comunicar ao Conselho de Administração de Itaipu que pretende deixar o cargo de conselheiro da estatal.

Inflação – FGV divulga o IGP-M.

 

6ª feira (31.out.2014)
Infraestrutura – Lide (Grupo de Líderes Empresariais) promove o Fórum de Infraestrutura e Logística, em Belo Horizonte. São esperados cerca de 200 líderes empresariais do setor da construção civil, logística e tecnologia e autoridades públicas. Participam os ministros Paulo Sergio Passos (Transportes), Moreira Franco (Aviação Civil) e César Borges (Portos), além de Marcelo Guaranys, presidente da Anac, e Mario Povia, diretor da Antaq.

Hage em SP – Instituto dos Advogados de SP promove seminário sobre a Lei Anticorrupção. Jorge Hage, ministro-chefe da Controladoria-Geral da União, participa.

Inflação – IBGE divulga o Índice de Preços ao Produtor nas Indústrias de Transformação.

Questão de gênero – IBGE divulga o estudo “Estatísticas de Gênero – uma análise dos resultados do Censo Demográfico 2010”.

 

Sábado (1°.nov.2014)
Crise hídrica em SP – Sabesp dá início ao novo modelo de bônus para quem economizar água. A redução do consumo de 10% a 14,9% dará direito a 10% de desconto na conta. Quem diminuir o consumo de 15% a 19,9% terá redução de 20% na conta.

Moeda virtual – São Paulo sedia conferência sobre a moeda virtual BitCoin.

Biodiesel – percentual de mistura do biodiesel ao óleo diesel sobre de 6% para 7%, conforme determinado pela MP 647/2014.

 

Domingo (2.nov.2014)
Eleições na Romênia – país europeu elege novo presidente.

 

O blog está no Twitter e no Facebook.

 


Poder e Política na semana – 14 a 20.jul.2014
Comentários Comente

Fernando Rodrigues

Acabou a Copa do Mundo e nesta semana o Brasil recebe diversos chefes de Estado para encontro dos Brics e da Unasul. Na economia, destaque para o Banco Central que anuncia a nova taxa básica de juros, a Selic.

A presidente Dilma Rousseff reúne-se nesta 2ª feira com Vladimir Putin, presidente da Rússia, no Palácio do Planalto. Na 3ª feira, comanda em Fortaleza a 6ª Cúpula dos Brics, com Putin e Xi Jinping, presidente da China, Jacob Zuma, presidente da África do Sul, e Narendra Modi, primeiro-ministro da Índia. Na 4ª feira, Dilma recebe Modi para audiência do Palácio da Alvorada e comanda encontro dos chefes de Estado dos países dos Brics com presidentes de países da Unasul, no Palácio do Itamaraty. Na 5ª feira, reúne-se em audiência particular com Jinping, no Planalto.

Joseph Blatter, presidente da Fifa, divulga nesta 2ª feira balanço da Copa do Mundo do Brasil, em coletiva de imprensa no Rio com Aldo Rebelo, ministro do Esporte, José Maria Marin, presidente da CBF, e Jérôme Valcke, secretário-geral da Fifa.

UOL, “Folha”, SBT e rádio Jovem Pan sabatinam Eduardo Campos, candidato do PSB a presidente da República, na 3ª feira, em SP. No dia seguinte, é a vez de Aécio Neves, candidato do PSDB. Dilma disse ter intenção de participar, mas não disse ainda em qual data.

Na 4ª feira, o Comitê de Política Monetária do Banco Central anuncia a nova taxa básica de juros, a Selic, no momento em 11% ao ano. A expectativa do mercado é a manutenção da taxa no mesmo patamar.

Na 3ª e na 4ª feira o Datafolha vai a campo fazer pesquisa nacional sobre eleições presidenciais, organização da Copa do Mundo e comando da seleção brasileira de futebol. Nesse mesmo levantamento, o Datafolha vai sondar a intenção de voto sobre as eleições para governador em São Paulo e no Rio.

Na 6ª feira, Aécio viaja a Queimados, no Rio, para ato de pemedebistas do movimento “Aezão”, que defende o tucano para presidente e Luiz Fernando Pezão (PMDB) para governador do Estado.

Também na 6ª feira, Dilma deve tirar uma última casquinha da Copa do Mundo e pode se reunir com o chamado movimento Bom Senso F.C., que pede mudanças na gestão do futebol do país. Sobre os efeitos político-eleitorais de outras derrotas da seleção brasileira, o Blog publicou post a respeito com comparações históricas.

Na manhã de sábado, Campos participa de ato da campanha de Benedito de Lira (PP) ao governo de Alagoas, que tem como vice Alexandre Toledo (PSB). À tarde, vai a debate sobre a bacia do Rio São Francisco em Juazeiro, na Bahia.

Eis, a seguir, o drive político da semana. Se tiver algum reparo a fazer ou evento a sugerir, escreva para frpolitica@gmail.com. Atenção: esta agenda é uma previsão. Os eventos podem ser cancelados ou alterados.

 

2ª feira (14.jul.2014)
Dilma e Putin – presidente Dilma Rousseff recebe Vladimir Putin, presidente da Rússia, no Palácio do Planalto. Entre os temas em pauta, a organização da Copa do Mundo, que em 2018 será realizada na Rússia.

Brics em Fortaleza6ª Cúpula dos Brics (grupo composto por Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul) em Fortaleza. Encontro será aberto com reunião dos presidentes dos Bancos Centrais e ministros de Comércio Exterior e da Fazenda dos 5 países. A cúpula termina na 4ª feira (16.jul.2014) e deve anunciar a criação de um novo banco de desenvolvimento, o “Banco dos Brics”. Empresários e organizações civis das nações envolvidas realizam encontros paralelos.

Balanço da Copa – Fifa e Comitê Organizador Local divulgam balanço da Copa do Mundo no Brasil. Participam da coletiva de imprensa Joseph Blatter, presidente da Fifa, Aldo Rebelo, ministro do Esporte, José Maria Marin, presidente da CBF, Ronaldo, membro do Comitê Organizador Local, e Jérôme Valcke, secretário-geral da Fifa. No Maracanã, no Rio.

Campanha de Dilma – coordenadores da campanha da presidente Dilma Rousseff à reeleição reúnem-se em Brasília.

Presidência do STF – ministro Joaquim Barbosa, presidente do Supremo Tribunal Federal –que adiou a sua aposentadoria para 6 de agosto–, entra em férias até 31 de julho. Nesse período, o ministro Ricardo Lewandowski, atual vice-presidente da Corte, assume o comando do Tribunal.

Psique da seleção – Regina Brandão, psicóloga da seleção brasileira, é entrevistada no programa Roda Viva, da TV Cultura. Às 22h.

Conselhos populares – Câmara realiza esforço concentrado. Na pauta do plenário, está a votação de decreto legislativo que suspende os efeitos do decreto da presidente Dilma Rousseff sobre a criação dos conselhos populares.

 

3ª feira (15.jul.2014)
Brics em Fortaleza – presidente Dilma Rousseff reúne-se com os presidentes da Rússia (Vladimir Putin), China (Xi Jinping) e África do Sul (Jacob Zuma) e o primeiro-ministro da Índia (Narendra Modi) em Fortaleza na 6ª Cúpula dos Brics.

Sergei Karpukhin/Reuters - 5.set.2013

Dilma Rousseff, Manmohan Singh (ex-primeiro-ministro da Índia), Vladimir Putin (presidente da Rússia), Xi Jinping (presidente da China) e Jacob Zuma (presidente da África do Sul) em encontro dos Brics na Rússia, em 5.set.2013

Sabatina com CamposUOL, “Folha”, SBT e rádio Jovem Pan sabatinam Eduardo Campos, candidato do PSB a presidente da República. Às 11h, no Teatro Folha em SP, com transmissão ao vivo.

Taxa Selic – Comitê de Política Monetária do Banco Central reúne-se para definir a nova taxa básica de juros, a Selic, hoje em 11% ao ano. A reunião termina na 4ª feira (16.jul.2014).

Congresso e os vetos – sessão do Congresso Nacional vota 21 vetos totais ou parciais da presidente Dilma Rousseff a projetos aprovados pelo Legislativo. Entre eles, ao texto que estabelece novas regras para a criação de municípios e a trechos da minirreforma eleitoral.

Pesquisas – Datafolha vai a campo fazer pesquisa nacional sobre eleições presidenciais, organização da Copa do Mundo e comando da seleção brasileira de futebol e pesquisas estaduais sobre as eleições em São Paulo e no Rio. Até 4ª feira (16.jul.2014).

Padilha e empresários – Lide (Grupo de Líderes Empresariais) realiza seminário sobre propostas para o governo de São Paulo com Alexandre Padilha, candidato do PT ao Palácio dos Bandeirantes.

Vargas e Argôlo – Conselho de Ética da Câmara colhe depoimento de testemunhas no processo contra o deputado André Vargas (sem partido-PR) e dá andamento ao processo contra o deputado Luiz Argôlo (SDD-BA).

Trabalho escravo – Comissão Mista do Congresso analisa emendas a projeto de lei que estabelece a expropriação de propriedades rurais e urbanas onde for constatada a prática de trabalho escravo.

Trabalho doméstico – Comissão Mista do Congresso analisa emenda a projeto de lei que regulamenta os direitos de empregados domésticos.

Orçamento – Comissão Mista de Orçamento vota relatório preliminar da Lei de Diretrizes Orçamentárias de 2015.

Alianças do PMDB – bancada do PMDB no Congresso reúne-se para fazer balanço das alianças nos Estados.

Voto em trânsito – abertura do prazo para o eleitor que está fora do seu domicílio eleitoral e deseja votar em trânsito habilitar-se perante a Justiça Eleitoral. Nessa modalidade, é possível votar apenas para presidente, em municípios com mais de 200 mil eleitores.

 

4ª feira (16.jul.2014)
Dilma e Modi – presidente Dilma Rousseff reúne-se com o primeiro-ministro da Índia, Narendra Modi, no Palácio da Alvorada.

Brics e latinos em Brasília – presidente Dilma Rousseff comanda encontro de chefes de Estado dos países dos Brics com presidentes de países da Unasul. No Palácio do Itamaraty, em Brasília.

Jinping no Congresso – Xi Jinping, presidente da China, participa de sessão solene do Congresso Nacional sobre os 40 anos de relações diplomáticas entre o Brasil e o país asiático.

Sabatina com AécioUOL, “Folha”, SBT e rádio Jovem Pan sabatinam Aécio Neves, candidato do PSDB a presidente da República. Às 11h, no Teatro Folha em SP, com transmissão ao vivo.

Luciana e a OAB – Luciana Genro, candidata do PSOL a presidente da República, reúne-se com Marcus Vinicius Furtado Coêlho, presidente do Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil. Em Brasília.

Taxa Selic – Comitê de Política Monetária do Banco Central anuncia no final do dia a nova taxa básica de juros, a Selic, no momento em 11% ao ano. A expectativa do mercado é a manutenção da taxa no mesmo patamar.

Aumento para juízes e promotores – plenário do Senado realiza 5ª sessão de discussão e pode votar em 1º turno a PEC 63/2013, que estabelece o pagamento de adicional por tempo de serviço a juízes e membros do Ministério Público.

Propaganda eleitoral – ministro Dias Toffoli, presidente do Tribunal Superior Eleitoral, conduz audiência pública com representantes dos partidos e das emissoras de rádio e televisão e define o tempo do horário eleitoral gratuito de cada coligação. Em Brasília.

Petrobras – CPI Mista da Petrobras vota a quebra de sigilos fiscal, telefônico e telemático do doleiro Alberto Youssef e de Paulo Roberto Costa, ex-diretor de Refino e Abastecimento da estatal.

Comércio – IBGE divulga pesquisa mensal sobre o comércio.

Inflação – FGV divulga o IGP-10.

Indústria nos EUA – Banco Central dos EUA divulga índice da produção industrial do país.

 

5ª feira (17.jul.2014)
Dilma e Jinping – presidente Dilma Rousseff recebe Xi Jinping, presidente da China, no Palácio do Planalto.

Durão Barroso no Brasil – José Manuel Durão Barroso, presidente da Comissão Europeia, inicia visita oficial ao Brasil. Ele permanece no país até 2ª feira (21.jul.2014).

Congresso em recesso – Congresso Nacional entra em recesso branco até o dia 1º de agosto.

Serviços – IBGE divulga pesquisa mensal sobre o setor de serviços.

 

6ª feira (18.jul.2014)
Aezão – Aécio Neves, candidato do PSDB a presidente, participa em Queimados, no Rio, de ato de pemedebistas do movimento “Aezão”, que defende o tucano para presidente e Luiz Fernando Pezão (PMDB) para governador do Estado.

Padilha e Lula em campanha – Alexandre Padilha, candidato do PT ao governo de SP, faz caminhada no centro da capital paulista, entre o Teatro Municipal e a Praça da Sé, e vai à cerimônia de posse da nova diretoria do Sindicato dos Bancários de SP. O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva comparece aos 2 eventos.

Luciana em SP – Luciana Genro, candidata do PSOL a presidente da República, faz caminhada de campanha na Avenida Paulista, em SP.

Hackers reunidos – início da conferência “Hackers on Planet Earth”, em Nova York. Até domingo (20.jul.2014).

 

Sábado (19.jul.2014)
Campos em Alagoas e Bahia – Eduardo Campos, candidato do PSB a presidente da República, participa de ato da campanha de Benedito de Lira (PP) ao governo de Alagoas, que tem como vice Alexandre Toledo (PSB). Às 10h, em Maceió. À tarde, Campos vai a debate sobre a bacia do Rio São Francisco em Juazeiro, na Bahia.

 

Domingo (20.jul.2014)
Voos da Copa – último dia da malha viária especial da Copa do Mundo, que aumentou a frequência de alguns voos a pedido das companhias aéreas.

O blog está no Twitter e no Facebook.

 


Poder e Política na semana – 7 a 13.out.2013
Comentários Comente

Fernando Rodrigues

PSB vai apresentar Marina na TV na 5ª feira

A semana começa com políticos e marqueteiros mobilizados para avaliar o impacto da ida de Marina Silva para o PSB de Eduardo Campos. O PSB estará com seus comerciais na TV na 3ª feira (inserções de 30 segundos) e na 5ª feira (programa mais longo, de 10 minutos, em rede nacional). Marina Silva e seu grupo, a Rede Sustentabilidade, serão apresentados nessa propaganda de 5ª feira.

Há uma preocupação de Eduardo Campos a respeito do tom a ser adotado no programa de TV do PSB. É inevitável mostrar Marina Silva, mas o pré-candidato a presidente pelo PSB deseja evitar uma abordagem triunfalista. O objetivo será amalgamar ao máximo o PSB e a Rede, apresentando as trajetórias de Eduardo e de Marina, ambos ex-ministros no governo de Luiz Inácio Lula da Silva.

No Congresso, haverá a contabilidade final do troca-troca partidário dos últimos dias. E no Supremo há a expectativa de que seja publicado o acórdão que admite os embargos infringentes no julgamento do mensalão.

Hoje, a presidente Dilma Rousseff recebe os líderes da base aliada da Câmara e do Congresso, de manhã, no Palácio do Planalto. À noite, o Programa do Ratinho, do SBT, transmite entrevista com a presidente gravada na semana passada. Dilma viaja na 4ª feira a Salvador (BA) e a na 6ª feira a Novo Hamburgo (RS) para anunciar ações de seu governo.

Se o Supremo Tribunal Federal publicar de fato os votos dos ministros sobre os embargos infringentes no mensalão, abre-se um prazo de 30 dias para que 12 dos 25 condenados protocolem o recurso.

Na 4ª feira, o Comitê de Política Monetária anuncia a nova taxa Selic.

Entre os presidenciáveis, Marina Silva e Eduardo Campos não divulgaram agenda pública, mas estarão costurando detalhes de sua aliança.

Na 3ª feira, o senador e presidente do PSDB, Aécio Neves, faz palestra em Nova York para investidores.

Na 5ª feira, o Supremo pautou para julgamento 4 processos contra deputados, inclusive a ação contra Tiririca (PR-SP), acusado de fraudar seu pedido de registro de candidatura ao afirmar saber ler e escrever, em 2010.

Além disso, o governo federal pretende lançar nesta semana, em data não definida, o edital da concessão da BR-060.

Eis, a seguir, o drive político da semana. Se tiver algum reparo a fazer ou evento a sugerir, escreva para frpolitica@gmail.com.

 

Segunda (7.out.2013)
Dilma e Congresso – presidente Dilma Rousseff recebe os líderes da base aliada da Câmara, às 15h, e do Senado, às 17h, no Palácio do Planalto.

Dilma no Ratinho – Programa do Ratinho, do SBT, veicula entrevista gravada com Dilma no Palácio do Alvorada, na última 5ª feira (3.out.2013). Às 22h.

Mensalão – STF pode publicar acórdão que admite os embargos infringentes no julgamento do mensalão, abrindo prazo de 30 dias para que 12 dos 25 condenados protocolem o recurso.

Calendário do futebol – presidente da CBF José Maria Marin reúne-se com grupo de jogadores que pede mudanças no calendário nacional de jogos. Na sede da entidade, no Rio.

Fux em SP – ministro Luiz Fux, do Supremo Tribunal Federal, será empossado “associado honorário” do Instituto dos Advogados de SP. Em São Paulo.

Genro no Roda Viva – governador do Rio Grande do Sul Tarso Genro é o entrevistado do programa Roda Viva, da TV Cultura. Às 22h.

Vale-Cultura – início do prazo para empresas interessadas em oferecer o Vale-Cultura para seus funcionários se habilitarem. O programa, uma das principais bandeiras da gestão de Marta Suplicy à frente do Ministério da Cultura, transfere R$ 50 mensais a trabalhadores para compra de bens culturais.

Justiça no Pará – a presidente da Comissão de Direitos Humanos da OAB do Pará, Luana Tomaz, reúne-se com representantes do Tribunal de Justiça daquele Estado para discutir a situação da juíza Clarice Maria de Andrade Rocha, que em 2007 permitiu a prisão de uma adolescente de 15 anos numa cela com mais de 20 homens em Abaetuba. O TJ decidiu promover Clarice na última 5ª feira (3.out.2013), mas recuou após repercussão negativa da decisão.

Rui em Brasília – presidente do PT Rui Falcão conversa com a bancada da legenda no Senado. Às 19h.

Eleições petistas – legenda realiza 3º debate entre os candidatos à presidência do PT, com transmissão pela internet. Às 11h.

Massacre de Ipatinga – Comissão da Verdade realiza audiência pública sobre os 50 anos do Massacre de Ipatinga, em Minas Gerais. Em 1963, forças policiais mataram 8 funcionários da Usiminas que protestavam por melhores condições de trabalho.

Greve nos bancos – bancários de diversas cidades do país fazem assembleias para definir se permanecem em greve ou aceitam a proposta da Febraban, de reajuste salarial de 7,1% (que representa ganho real de 0,97%).

Sindicalistas na Paulista – centrais sindicais realizam ato em São Paulo em defesa do trabalho decente. Trabalhadores farão caminhada na Avenida Paulista e entregam documento na Fiesp. Depois, protestam em frente a concessionária da Nissan na Mooca contra “práticas antissindicais” nos Estados Unidos.

Mercado de Trabalho – Ipea divulga comunicado sobre o mercado de trabalho no Brasil com dados da escassez de mão de obra qualificada e pleno emprego. Às 11h, no Rio de Janeiro.

Telecomunicações no mundo – Anatel e União Internacional de Telecomunicações lançam relatório “Medindo a Sociedade da Informação” de 2013, sobre acesso, utilização e mercado das Tecnologias da Informação e da Comunicação no mundo. Às 10h30, na sede da Anatel, em Brasília.

 

Terça (8.out.2013)
Dilma e o trabalho infantil – presidente Dilma Rousseff abre a III Conferência Global sobre Trabalho Infantil, em Brasília, a primeira a ocorrer fora da Europa. Às 10h. O evento vai até 5ª feira (10.out.2013).

Dilma com empresárias – às 15h, Dilma recebe Luiza Trajano, do Magazine Luiza, e outras empresárias no Palácio do Planalto.

Aécio em Nova York – o senador e presidente do PSDB Aécio Neves faz palestra de abertura da conferência do banco BTG Pactual para investidores, em Nova York, nos Estados Unidos. O evento vai até 5ª feira (10.out.2013).

Taxa Selic – Comitê de Política Monetária do Banco Central reúne-se para definir a nova taxa de juros básica da economia. O encontro termina na 4ª feira (9.out.2013). A Selic está em 9% e a expectativa do mercado é de uma nova alta de 0,25 ou de 0,5 ponto percentual.

Michel Temer na Alemanha – o vice-presidente da República abre a feira do livro de Frankfurt, que vai homenagear o Brasil.

Rede reunida – dirigentes do Rede Sustentabilidade, de Marina Silva, devem se encontrar em Brasília para avaliar o acordo fechado com o PSB.

ACM Neto em SP – prefeito de Salvador Antônio Carlos Magalhães Neto vai a seminário promovido pelo Lide (Grupo de Líderes Empresariais) sobre “Gestão metropolitana: como inovar na administração pública”. Às 7h30, em SP.

Olimpíadas – Comissão de Assuntos Econômicos do Senado analisa a indicação de Fernando Azevedo e Silva para presidente da Autoridade Pública Olímpica. Às 9h45.

Pacto federativo – Comissão de Assuntos Econômicos do Senado debate a reforma do ICMS e a renegociação das dívidas estaduais. Participam o secretário-executivo interino do Ministério da Fazenda, Dyogo de Oliveira, e o secretário da Fazenda de São Paulo, Andrea Calabi, entre outros. Às 10h.

Petroleiros – Reunião da Federação Única dos Petroleiros decide se a categoria entrará em greve a partir de 17.out.2013. Eles pressionam por melhores condições de trabalho e contra o leilão do campo de Libra.

CUT em Bruxelas – o presidente da CUT, Wagner Freitas, representa a central sindical em evento da Confederação Sindical Internacional, em Bruxelas, na Bélgica.

Mais Médicos – plenário da Câmara analisa a medida provisória 621/13, que cria o programa federal Mais Médicos.

Regras eleitorais – Câmara debate projeto da minirreforma eleitoral. O prazo para alterações que entrem em vigor nas eleições de 2014 já expirou, mas o líder do PMDB, deputado Eduardo Cunha (RJ), defensor do projeto, avalia que o Tribunal Superior Eleitoral possa considerar aplicáveis algumas das regras previstas no texto. Não há acordo entre os líderes sobre a matéria e o PMDB ameaça obstruir análise da MP do Mais Médicos se a minirreforma eleitoral não for votada.

Processo Civil – plenário da Câmara pode colocar em votação o projeto do novo Código de Processo Civil.

Caso Amarildo – produtora Paula Lavigne organiza leilão de obras de arte para arrecadar fundos para comprar uma casa para a família do pedreiro Amarildo, que desapareceu após ter sido detido por policias da Unidade de Polícia Pacificadora da Favela da Rocinha, no Rio.

Constituição, 25 anosFolha promove debate sobre os 25 anos da Constituição. Participam o ex-presidente do STF Nelson Jobim, o ministro da corte Roberto Barroso e o professor da USP Virgílio Afonso da Silva. Às 19h. Inscrições pelo e-mail eventofolha@grupofolha.com.br

PSB na TV – partido terá 5 minutos de propaganda em rádio e televisão, divididos em inserções de 30 segundos ou 1 minuto.

Inflação – Fundação Getúlio Vargas divulga resultados do IPC-S e do IGP-DI.

Etiópia vota – país africano realiza eleições presidenciais.

 

Quarta (9.out.2013)
Dilma na Bahia – presidente Dilma Rousseff vai a Salvador assinar contrato para ampliação do metrô da capital baiana e de Lauro de Freitas. Depois, viaja a Vitória da Conquista para entregar 1.740 unidades do projeto Minha Casa Minha Vida.

Taxa Selic – Comitê de Política Monetária anuncia a nova taxa de juros básica da economia.

Lula em SP – ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva participa de lançamento da nova versão do site Carta Maior. Às 19h, em SP.

Orçamento – Reunião Comissão de Finanças e Tributação da Câmara com o secretário do Tesouro Nacional, Arno Augustin, discute a execução orçamentária da União. Às 9h.

Greenwald e Miranda no Senado – CPI da Espionagem ouve o jornalista Glenn Greenwald e seu companheiro, o brasileiro David Miranda. Às 14h, no Senado.

Orçamento Impositivo – Comissão de Constituição e Justiça do Senado vota substitutivo do senador Eduardo Braga (PMDB-AM) à PEC do Orçamento Impositivo, já aprovada na Câmara. A proposta de Braga altera o texto para destinar à saúde metade do valor das emendas, como defende a presidente Dilma, e fixa o percentual mínimo para ser investido em saúde em 15% da receita corrente líquida da União.

Funcionalismo público – Câmara pode votar em segundo turno a PEC 190/07 que concede ao Supremo Tribunal Federal prazo de 360 dias para enviar ao Congresso um projeto de lei complementar instituindo o Estatuto dos Servidores do Judiciário.

Mobilidade – Folha realiza seminário sobre mobilidade urbana, com o prefeito de São Paulo, Fernando Haddad, e o ex-prefeito de Curitiba, Jaime Lerner, entre outros. Aberto ao público, com vagas limitadas.

Constituição, 25 anos – Câmara realiza sessão solene em homenagem aos 25 anos da Constituição, comemorados no último sábado (5.out.2013).

Agricultura – IBGE divulga resultados do Levantamento Sistemático da Produção Agrícola.

Inflação – IBGE apresenta resultados do INPC.

Azerbaijão vota – país asiático realiza eleições presidenciais.

 

Quinta (10.out.2013)
Lula em Brasília – ex-presidente Lula participa da III Conferência Global sobre Trabalho Infantil, em Brasília.

Supremo julga Tiririca – STF julga ação penal contra o deputado federal Francisco Everaldo Oliveira Silva (PR-SP), o palhaço Tiririca, que responde pelo crime de falsidade ideológica. O Ministério Público acusa Tiririca de fraudar seu pedido de registro de candidatura ao afirmar saber ler e escrever quando foi candidato a deputado nas eleições de 2010.

Supremo julga deputados– além do caso de Tiririca, o STF pautou o julgamento de outras 2 ações penais contra deputados: José Priante (PMDB-PA), réu por desobediência à Justiça em um caso de suposto crime eleitoral, e Jairo Ataíde (DEM-MG), réu por crime de responsabilidade. O tribunal também delibera sobre inquérito contra o deputado Bernardo Santana de Vasconcellos (PR-MG), investigado por suposto crime contra a ordem tributária.

PPP em hospitais – Governo paulista lança PPP (Parceria Público-Privada) voltada à construção e operação de hospitais no Estado. O edital prevê 1 hospital novo em Sorocaba, 1 hospital novo em São José dos Campos e 1 prédio novo para o hospital Pérola Byington, no centro da capital.

Mobilidade – Folha realiza seminário sobre mobilidade urbana, com a presença do governador de São Paulo, Geraldo Alckmin. Aberto ao público, com vagas limitadas.

Emprego – IBGE divulga sua Pesquisa Industrial Mensal sobre emprego e salário.

PSB na TV – legenda apresenta programa em rede nacional de rádio e televisão. No rádio, das 20h às 20h10, e na TV, das 20h30 às 20h40.

PDT na TV – partido terá 5 minutos de propaganda em rádio e televisão, divididos em inserções de 30 segundos ou 1 minuto.

 

Sexta (11.out.2013)
Dilma no Rio Grande do Sul – presidente Dilma Rousseff viaja à cidade gaúcha de Novo Hamburgo para anunciar programa de construção de creches.

Negócios com os EUA – Câmara de Comércio Brasil-Estados Unidos realiza conferência anual sobre a economia brasileira, em Washington. Participam o embaixador do Brasil nos Estados Unidos, Mauro Vieira, a ministra do Planejamento, Miriam Belchior, e o presidente do BNDES, Luciano Coutinho. Também estarão o ex-presidente do Banco Central Henrique Meirelles e o presidente da Febraban, Murilo Portugal.

Disputa no PMDB do Tocantins – diretório estadual da legenda eleição interna. Almejam o comando do partido o grupo do ex-governador Marcelo Miranda, denominado “Autênticos”, que apoia a senadora Kátia Abreu, e o grupo do atual presidente, deputado federal Júnior Coimbra, que se mostrou desconfortável com a recente filiação da senadora à legenda.

Nobel da Paz – comitê entrega o Prêmio Nobel da Paz 2013.

Aviões da Transbrasil – Justiça leiloa 3 Boeing 767-200 da massa falida da Transbrasil que estão parados no Aeroporto Internacional de Brasília, avaliados como sucata em R$ 100 mil.

Emprego – Fundação Getúlio Vargas divulga dados do Indicador Antecedente de Emprego e do Indicador Coincidente de Desemprego.

 

Sábado (12.out.2013)
Jornalismo investigativo – Abraji (Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo) realiza seu 8º Congresso Internacional, que neste ano ocorre simultaneamente à 8ª Conferência Global de Jornalismo Investigativo, ambos no Rio de Janeiro. O evento reúne representantes de mais de 70 países e cerca de 300 palestrantes e vai até a próxima 3ª feira (15.out.2013). Confira a programação.

PSC na TV – partido terá 5 minutos de propaganda em rádio e televisão, divididos em inserções de 30 segundos ou 1 minuto.

Brasil e Coreia – seleção brasileira de futebol enfrenta a coreana em amistoso em Seul.

Domingo (13.out.2013)
Subsídio para Nordeste – medida provisória que R$ 148 milhões para subvenção à produção de cana-de-açúcar e R$ 1,5 bilhão para ajuda financeira em municípios do Nordeste perde a validade se não for aprovada pelo Congresso.

 

O blog está no Twitter e no Facebook.

 


Poder e política na semana – 4 a 10.mar.2013
Comentários Comente

Fernando Rodrigues

Fatos relevantes desta semana: 1) Dilma Rousseff, Aécio Neves e Eduardo Campos terão eventos públicos já nesta 2ª feira (4.mar.2013) e devem acelerar os discursos sobre 2014; 2) a data de início do conclave para escolha do novo papa deverá ser definida pelos cardeais reunidos no Vaticano; 3) o Congresso marcou para 3ª feira (5.mar.2013) as votações do projeto dos royalties do petróleo e do Orçamento 2013; 4) na 4ª feira (6.mar.2013), o Copom divulgará a Selic; 5) Dilma visitará Cristina Kirchner na Argentina na 5ª feira e na 6ª feira (7 e 8.mar.2013), bem no Dia Internacional da Mulher e às vésperas de um referendo nas Ilhas Malvinas, que será no domingo (10.mar.2013)

A reeleição de Michel Temer como presidente do PMDB no último sábado (2.mar.2013) deverá ser o assunto do mundo político no início desta semana. Ele havia prometido não se licenciar do cargo e exercer de verdade o comando do PMDB. Mas não é o que pretende fazer. Deve continuar afastado, deixando o partido a cargo do vice, Valdir Raupp. Temer pode esperar manifestações contrárias a ele vindas de dentro do próprio PMDB.

Aécio Neves (PSDB-MG) e Eduardo Campos (PSB-PE), que pretendem disputar a Presidência da República em 2014 contra Dilma Rousseff, terão chance de falar mal da presidente e do PT já na 2ª feira (4.mar.2013). Aécio estará em Goiânia para falar em um seminário. Campos receberá o deputado Paulinho da Força (PDT-SP) para endossar críticas dos sindicalistas à MP dos Portos.

Dilma começará a 2ª feira na Paraíba para entregar retroescavadeiras compradas pelo PAC 2. O DEM, que ultimamente tem se dedicado a organizar protestos contra o PT, quer recebê-la com um protesto de agricultores. Na última semana, o Democratas inaugurou uma placa crítica ao PT na Câmara dos Deputados e conferiu uma medalha jocosa a um deputado petista.

Também na 2ª feira, em São Paulo, a ministra Eleonora Menicucci (Mulheres) receberá a Medalha Ruth Cardoso, no Palácio dos Bandeirantes, sede do governo de São Paulo, comandado por Geraldo Alckmin. É uma aliada de Dilma e do PT andando em território tucano.

E no Vaticano, Estado independente situado no meio de Roma, os cardeais responsáveis por escolher o novo papa farão suas primeiras reuniões preparatórias para o conclave, ainda sem data para começar. Conclave é o nome da reunião dedicada à eleição do papa, chefe máximo da Igreja Católica.

Na 3ª feira (5.mar.2013), Dilma Rousseff deverá ter reunião com o presidente do Grupo Banco Mundial, Jim Yong Kim. E no Congresso os deputados e senadores terão agenda cheia. Ficou para esse dia a votação do veto presidencial a parte do projeto que redistribui os royalties do petróleo e também a votação do Orçamento 2013.

No Senado, ainda na 3ª feira, a Comissão de Assuntos Econômicos discutirá a criação da Secretaria da Micro e Pequena Empresa, que o governo Dilma deverá entregar para o PSD, de Gilberto Kassab.

Na 4ª feira (6.mar.2013), as centrais sindicais farão manifestação em Brasília para reivindicar fim do fator previdenciário, jornada de trabalho de 40 horas e valorização dos aposentados e outros itens.

À tarde, também na 4ª feira, o Copom dirá qual será a taxa básica de juros (Selic).

Na 5ª feira (7.mar.2013), Dilma estará em Buenos Aires para reuniões com a presidente argentina Cristina Kirchner. Ficará por lá até a 6ª feira (8.mar.2013), Dia Internacional da Mulher.

No sábado (9.mar.2013) a maçonaria brasileira elegerá seu grão-mestre, cargo máximo da instituição. E no domingo (10.mar.2013), os cerca de 3 mil habitantes das Ilhas Malvinas deverão escolher, em referendo, se continuam sob domínio britânico ou se querem ser governados pela Argentina. O governo local espera continuar como território do Reino Unido. O governo argentino já criticou a votação.

A seguir, o drive político da semana:

 

Segunda (4.mar.2013)
Dilma na Paraíba – a presidente irá a João Pessoa para entregar retroescavadeiras compradas pelo PAC 2. Estará com o ministro Pepe Vargas (Desenvolvimento Agrário). Às 9h, no Condomínio Residencial Jardim Veneza.

Protesto contra Dilma – o DEM planeja manifestação de produtores rurais paraibanos para reclamar de falta de apoio do governo federal durante a seca.

Novo papa – 1ª reunião preparatória para o conclave, com presença dos cardeais eleitores, será pela manhã (às 5h30 de Brasília).

Aécio em Goiânia – senador mineiro, pré-candidato ao Planalto em 2014, falará em evento na capital de Goiás. 

PT e PSDB – a ministra Eleonora Menicucci (Mulheres) receberá a Medalha Ruth Cardoso, no Palácio dos Bandeirantes, sede do governo de São Paulo. O evento começará às 19h30.

Eduardo Campos e os portuários – às 14h, governador de Pernambuco, pré-candidato a presidente da República, receberá o deputado Paulinho da Força (PDT-SP) e sindicalistas da Força Sindical ligados aos portos. Paulinho é um dos integrantes do PDT que prega apoio a um adversário de Dilma em 2014.

Kassab e a segurança – candidato ao governo de São Paulo em 2014, Gilberto Kassab discutirá o tema em um seminário de seu partido, o PSD. Deve criticar o governo de Geraldo Alckmin, seu adversário na eleição. Às 19h, com transmissão pela internet.

Renan e a comunicação – às 11h30, presidente do Senado participará de reunião do Conselho de Comunicação Social do Congresso.

Celso Amorim e a Copa – ministro da Defesa irá ao Rio de Janeiro para participar de reunião sobre a Copa das Confederações com coordenadores de defesa aérea e integrantes da Secretaria Extraordinária de Segurança Pública do Ministério da Justiça.

Wagner e o Banco Mundial – governador da Bahia receberá o presidente do Grupo Banco Mundial, Jim Yong Kim, em Salvador. Kim também visitará o projeto habitacional Dias Melhores, na Comunidade São Bartolomeu, e o Hospital do Subúrbio, apoiado pela Corporação Financeira Internacional (IFC), entidade do grupo dedicada ao setor privado.

Brasil e o café – país será representado no Conselho Internacional do Café, que se reunirá em Londres até 6ª feira (8.mar.2013). O enviado brasileiro será o secretário de Produção e Agroenergia do Ministério da Agricultura, Gerardo Fontelles.

Fiesp e a agricultura – entidade reunirá seu grupo dedicado ao assunto. Estarão na reunião o ministro da Agricultura, Mendes Ribeiro, e seu secretário-executivo, José Carlos Vaz.

Neymar no Jô – jogador do Santos e da seleção brasileira de futebol aparecerá no programa de Jô Soares como entrevistado.

Inflação Fipe divulgará IPC referente a fevereiro de 2013.

 

Terça (5.mar.2013)
Dilma e o Banco Mundial – em Brasília, terá encontro com o presidente do Grupo Banco Mundial, Jim Yong Kim.

Banco Mundial e a miséria – a presença de Dilma não está confirmada, mas Yong Kim lançará uma “Iniciativa de Conhecimento e Inovação” para erradicar a extrema pobreza. A ministra Tereza Campello (Desenvolvimento Social e Combate à Fome) participará.

Royalties do Petróleo – o STF liberou o Congresso para votar os mais de 3 mil vetos presidenciais acumulados na ordem que quiser. O primeiro a ser apreciado será o veto dado a uma parte do projeto de redistribuição do dinheiro do petróleo entre os Estados. 

Orçamento 2013 – depois do veto, o Congresso deverá analisar a lei orçamentária deste ano. 

Novo ministério – a criação da Secretaria da Micro e Pequena Empresa é o primeiro item da pauta da reunião da Comissão de Assuntos Econômicos do Senado.

Banco Mundial e o Congresso – o presidente do Grupo Banco Mundial estará também na premiação do 1º Concurso de Curta Documentário sobre a Lei Maria da Penha, no Congresso.

MP dos Portos – comissão mista do Congresso que analisa a MP 595 de 2012 fará audiência pública às 14h30. Estão convidadas a Federação Nacional dos Estivadores e a Federação Nacional dos Portuários.

Política econômica – Copom começará sua segunda reunião de 2013. Nesta 3ª feira, apresentará avaliação técnica sobre a conjuntura econômica. Na 4ª feira (6.mar.2013) divulgará a taxa básica de juros.

Pezão na TV – vice governador do Rio, do PMDB, aparecerá nas propagandas do partido no Estado. O PT já mostrou o senador Lindbergh Farias. Ambos querem disputar o cargo de governador em 2014.

 

Quarta (6.mar.2013)
Sindicatos em Brasília – as centrais sindicais Força Sindical, CUT, CTB, Nova Central e UGT farão protesto na capital para pedir que o governo e o Congresso negociem suas reivindicações, como fim do fator previdenciário, jornada de trabalho de 40 horas e valorização dos aposentados.

Juros – à tarde, em Brasília, Copom definirá a taxa básica de juros (Selic). 

Conselhão de Alckmin – governador de São Paulo, do PSDB, deverá empossar integrantes do seu Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social, parecido com o Conselhão inventado por Lula e mantido por Dilma. O evento terá a presença de empresários e sindicalistas. 

Banco Mundial e o Rio – o presidente da instituição, Jim Yong Kim,  visitará uma comunidade apoiada por um dos projetos do banco. Terá também reuniões com o prefeito Eduardo Paes, da capital fluminense, e com o governador do Estado, Sérgio Cabral.

Cesta básica – Dieese divulgará estudo sobre o preço dos alimentos.

 

Quinta (7.mar.2013)
Dilma na Argentina – à convite da presidente argentina Cristina Kirchner, Dilma ficará em Buenos Aires até 6ª feira (8.mar.2013). Segundo o Palácio do Planalto, falarão de comércio bilateral e outros temas. Uma reunião está prevista para a tarde desta 5ª feira, no Hotel Alto Calafate.

Senado e o Código Penal – comissão destinada a reformular do Código Penal fará reunião com o jurista e ex-ministro da Justiça Miguel Reale Júnior, às 10h.

PRP na TV – partido nanico, com 2 deputados federais apenas, terá 5 minutos em rede nacional. Das 20h às 20h05, no rádio. Das 20h30 às 20h35, na TV.

Agricultura – IBGE divulgará Levantamento Sistemático da Produção Agrícola.

Custo de vida em SP – Dieese publicará dados sobre preços na capital paulista.

 

Sexta (8.mar.2013)
Dilma e Cristina Kirchner – ainda na Argentina, a presidente brasileira deverá se reunir com a colega pela manhã, no Hotel Alto Calafate.

Dia da Mulher – o encontro de Dilma e Cristina coincidirá com a data internacional celebrada nesta 6ª feira.

Indústria – CNI publicará indicadores do setor.

Inflação – IBGE divulgará Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo e Índice Nacional de Preços ao Consumidor.

 

Sábado (9.mar.2013)
Eleição na Maçonaria – maçons elegerão o grão-mestre da instituição. O cargo equivale a “presidente” da Maçonaria. Um dos candidatos é o senador Mozarildo Cavalcanti (PTB-RR), licenciado do Senado para se dedicar à campanha paralela.

 

Domingo (10.mar.2013)
Referendo nas Ilhas Malvinas – arquipélago é um território britânico e tem governo próprio. O governo das ilhas espera mostrar a argentina que a população local (cerca de 3 mil pessoas) prefere continuar ligada ao Reino Unido. O governo argentino disse que o referendo não tem valor.

 

O blog está no Twitter e no Facebook.

 


< Anterior | Voltar à página inicial | Próximo>